Editora da Imprensa Oficial prepara lançamentos para 23ª Feira do Livro

13/08/2019 12h48 - Atualizada em 13/08/2019 16h40
Por Julie Rocha (IOE)

A gráfica da Imprensa Oficial do Estado está a todo vapor com a impressão dos livros que serão levados para a 23ª Feira Pan Amazônica do Livro e das Multivozes, agendada para os dias 24 de agosto a 1º de setembro, na capital paraense. Além de mais de 40 títulos que já foram produzidos e lançados nos anos anteriores e que estarão disponíveis para compra do público visitante, na lojinha da Ioepa, o estande da Imprensa Oficial deve contar com pelo menos 15 obras de autores paraenses, entre novos títulos e relançamentos.

Uma das novidades da editora é a reedição do livro “Flauta de Bambu”, de Haroldo Maranhão, que está em fase de editoração. A obra consta na lista dos autores fora do catálogo, uma das linhas editoriais que a Imprensa Oficial vai trabalhar a partir deste ano. Trata-se de um livro de crônicas publicado em 1982 e contemplado com o Prêmio Nacional Mobral de Crônicas e Contos. A escolha da obra é do jornalista e crítico literário Elias Pinto Ribeiro, que assina a reedição da obra, a convite do presidente da Imprensa Oficial, Jorge Panzera.

“A editora tomou para si a responsabilidade de relançar autores paraenses que infelizmente estão fora do catálogo e a reedição de Haroldo Maranhão, que será uma das nossas principais obras lançadas no estande, foi uma decisão que tomamos em conjunto com o jornalista Elias Pinto Ribeiro, mas a ideia é que ao longo da jornada da editora a gente possa ter um número considerável de autores paraenses, como Eneida de Moraes, Max Martins, Dalcídio Jurandir, entre outros”, comentou o coordenador da editora da IOE, Rodrigo Moraes.

Na lista dos premiados em concursos da Academia Paraense de Letras, em parceria com a Imprensa Oficial, estão “Efemérides”, da escritora Lorena Valente de Oliveira, que ganhou o prêmio “Barão do Guajará 2017”, gênero crônica, e “Olhos de Ressaca”, de João Bosco Maia, que conquistou o Prêmio Samuel Wallace Mac-Dowel, em 2018. Trata-se de uma ficção sobre a obra Dom Casmurro, de Machado de Assis, narrada em primeira pessoa pela personagem feminina, Capitu.

Entre os livros que já passaram por todo o processo de produção gráfica, “De Mosqueiro a Xangai – Que viagem é essa?”, de Nelson Nunes, está em fase de acabamento e o terceiro volume de “Saapeca”, uma coletânea de contos e narrativas produzidas por alunos e funcionários da Escola Senador Álvaro Adolfo, em Ananindeua, já foi entregue pela diretora da instituição, Carmen Maranhão. Ela visitou a Imprensa Oficial no final da manhã desta terça-feira, 13, para conversar com os profissionais da editora e o diretor industrial, Allan Brandão.

“É uma conquista muito grande pra nós enquanto educadores ter uma escola dentro do estado do Pará lançando o terceiro livro produzido pelos alunos. A Imprensa Oficial está de parabéns, porque a educação começa pela gente. Se cada órgão fizer a sua parte, teremos uma melhor educação”, disse ela.

Alguns livros que serão reeditados aguardam processo de finalização do ISBN (International Stand Book Number), que apresenta a identificação numérica do livro, como “Gapuiando Sonhos na Ilha de Caratateua”, do poeta cordelista Apolo de Caratateua, impresso pela primeira vez em 2015, e “Heróis do País da Cabanagem”, com poemas de Tetro Fagundes sobre as memórias da cabanagem, a partir da trajetória dos principais líderes cabanos, o comandante Eduardo Angelim, Batista Campos, Quintino Lira, Gabriel Sales, Paulo Fonteles, entre outros.

Dois lançamentos em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura devem chegar esta semana para impressão na gráfica da Ioepa: “Violão Paraense”, de Sebastião Tapajós e “A Breve História do Quadrinho Paraense - dos anos 70 a dois mil e vinte”, de Vince Souza e Otoniel Oliveira.

Ainda na programação da editora, está o lançamento de “A Colônia União e a Luta pela Reforma Agrária na Rodovia Belém-Brasília”, de Marcos Almeida e os relançamentos de “Raízes - Quilombos do Marajó”, de Mauro Fernandes e dos infantis “Judith e Tarec”, de Lincoln Campos, que narra a história de amor de um casal de patos selvagens e “Mirrão”, com poemas de Ester Septimio, sobre a amizade de um garoto com um sapo.

De acordo com o presidente da Ioepa, Jorge Panzera, os lançamentos resultam das articulações realizadas no primeiro semestre para valorizar a produção literária no estado. “Foram muitas discussões acerca da necessidade de ampliação da literatura e de colocar o livro como um instrumento formativo, além de desenvolver essa cultura da leitura”, concluiu.

A programação geral do estande da Imprensa Oficial na 23ª Feira do Livro de da Multivozes, ainda está sendo fechada. Além dos lançamentos, o estande da IOE terá atividades voltadas para o público infantil por meio do “Portal do Conhecimento”, que também será lançado junto com o decreto que cria a política de edições e publicações do estado do Pará, assim como o lançamento da editora e do edital de incentivo a publicações nas doze regiões do estado.

 “Estamos finalizando o edital de incentivo à literatura paraense que possivelmente deve ser lançado na Feira do Livro, onde pretendemos valorizar a produção literária regional, contemplando as doze regiões do estado”, comentou o assessor, Moisés Alves.

A programação do estande inclui venda de livros pela lojinha da Ioepa e divulgação do certificado digital, além de debates com escritores e noite de autógrafos com o escritor e juiz Cláudio Rendeiro, que fará um stand up com seu pseudônimo “Epaminondas Gustavo”, com uma obra de Paes Loureiro, após o relançamento das obras gêmeas “Sátiras de Um Ribeirinho”, de Epaminondas Gustavo (Claudio Rendeiro) e “Líricas Ribeirinhas e Outras Margens”, de Claudio Rendeiro (Epaminondas Gustavo), um dos campeões de venda da edição passada da Feira.