Pará defende que recursos do Fundo Petrobras ajudem a combater desmatamento e queimadas

16/09/2019 20h51 - Atualizada em 16/09/2019 22h14
Por Ana Thaynara (SECOM)

O governador Helder Barbalho durante a videoconferência com o ministro do Meio Ambiente e demais governadores da Amazônia LegalO governador do Pará, Helder Barbalho, defendeu a possibilidade de utilização de recursos que foram recuperados pela operação Lava-Jato, o Fundo Petrobras, no combate aos focos de queimadas e ao desmatamento ilegal na floresta amazônica. “Defendemos que os valores sejam utilizados para financiar projetos e fortalecer as ações voltadas direta e indiretamente ao combate à derrubada ilegal de madeira e à queima da floresta amazônica”, reiterou Helder Barbalho nesta segunda-feira (16), em uma videoconferência realizada simultaneamente com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e os governadores dos demais estados da Amazônia Legal.Helder Barbalho defendeu mais recursos para ações em defesa da Amazônia

O objetivo da proposta é que o Fundo Petrobras destine cerca de R$ 420 milhões aos nove estados. Os valores que poderão ser repassados, a cada um dos estados, ainda não foram definidos. “A proposta inicial é de que 50% dos recursos possam ser divididos igualitariamente, entre todos os estados da Amazônia Legal. Os outros 50% serão detalhados em uma reunião presencial em Brasília (DF) nos próximos dias”, explicou o governador do Pará.

Ele também informou que o governo federal deverá manter um diálogo direto com o Supremo Tribunal Federal (STF), para que juntos consigam definir a forma adequada para aplicar e distribuir corretamente os recursos.