Projetos de terminais hidroviários no Marajó apostam na sustentabilidade

Construção dos espaços terão uso de materiais sustentáveis e reaproveitamento da água da chuva

23/10/2019 10h46 - Atualizada em 23/10/2019 11h37
Por Bruno Magno (CPH)

Arquipélago terá 10 terminais reformados e adequadosTodos os 13 terminais hidroviários que serão reformados em breve pela Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH), no arquipélago do Marajó, foram projetados com base na sustentabilidade. As duas empresas que venceram as licitações para elaboração de projeto básico e executivo de reforma e adequação desses espaços já começaram a apresentar propostas para a equipe técnica da Companhia.

"Em todos as nossas obras sempre pedimos para que as empresas elaborem projetos com base na sustentabilidade. Então, neste sentido, elas pesquisam materiais sustentáveis para utilizar na construção e pensam no reaproveitamento da água da chuva, por exemplo. Além disso, também preveem a construção de Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) nesses locais. Eles têm como objetivo diminuir a quantidade de poluentes antes de despejá-los na natureza", explica a assessora técnica da CPH, Liane Brito.

De forma prática, arquitetos e engenheiros das empresas contratadas apresentam os projetos durante reuniões para a equipe técnica da CPH e prefeitos municipais, que analisam e debatem ideias para adequar às propostas. Todos os projetos têm 12 meses para serem concluídos.

Projetos são apresentados para a CPH e representantes municipais, que debatem e analisam a proposta"Essas empresas fazem um estudo preliminar da área e analisam, por exemplo, a tipologia do terreno, o fluxo de passageiros, o número de embarcações que o espaço recebe, enfim todas as informações para subsidiar a elaboração dos projetos civil e naval da obra. As propostas apresentadas até o momento atendem as necessidades destes municípios e estamos sugerindo apenas algumas mudanças para aprová-las", completa Liane.

Termos – Das cidades do Marajó, os municípios de Santa Cruz do Arari, Cachoeira do Arari, Portel, Breves, Soure e Ponta de Pedras já assinaram o termo de cooperação técnica para elaboração destes projetos básicos e executivos. Somente após finalizados os processos de elaboração e aprovação, é que os terminais começarão a ser reformados pela CPH.

Investimentos – Em julho, durante as ações do Governo Por Todo o Pará, no Marajó, o Estado, por meio da CPH, e prefeituras municipais assinaram as ordens de serviço para elaboração de projetos de reforma e adequação de 10 terminais hidroviários: Cachoeira do Arari, Santa Cruz do Arari, Chaves, Melgaço, Anajás, Bagre, Afuá, Soure, Breves e Portel.

O investimento no valor de R$ 738.615,05 beneficiará os terminais de Breves, Santa Cruz do Arari, Melgaço e Soure. Enquanto que o valor de R$ 482 mil será destinado aos municípios de Afuá, Anajás, Bagre, Cachoeira do Arari, Chaves e Portel.

Vale lembrar que os terminais de Muaná e Ponta de Pedras estão em processo de revisão de projetos. Já o de Curralinho, a obra está em andamento, enquanto que os terminais de Gurupá e São Sebastião da Boa Vista já foram reformados. O terminal de Salvaterra tem a concessão da empresa Henvil para operar.