Equipe de Governo realiza vistoria no Hospital de Campanha de Santarém

Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, representantes da Sespa e do Centro Regional de Governo do Oeste foram ao local acompanhar a montagem do espaço, que deve ser entregue na próxima semana

13/02/2021 13h32 - Atualizada em 13/02/2021 18h47
Por Ana Thaynara (SECOM)

Comitiva visitou todas as áreas que serão utilizadas, deram orientações e pontuaram o que ainda precisa ser feitoNeste sábado (13), uma equipe do Governo do Pará realizou vistoria na Escola Estadual Maria Uchoa Martins, onde irá funcionar o Hospital de Campanha de Santarém. O intuito foi fiscalizar e acompanhar o andamento da montagem da unidade, que tem previsão para ser entregue na próxima semana.

Durante a visita, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, representantes da Sespa e Centro Regional de Governo visitaram todas as áreas que serão utilizadas, deram orientações e pontuaram o que ainda precisa ser feito.

O secretário regional de Governo do Oeste do Pará, Henderson Pinto, explicou que o Hospital de Campanha é um convênio do Estado com a Prefeitura de Santarém e que todos os esforços estão sendo feitos para que a unidade seja entregue o mais rápido possível.

Secretario regional, Henderson Pinto

“O Hospital de Campanha é um convênio do Estado com o Município, onde nós somos os responsáveis em fazer a parte de manutenção do espaço, onde inclusive já foi repassada a primeira parcela do recurso. Hoje, viemos visitar a escola, junto com Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária, para acompanharmos o que está sendo feito e repassarmos as recomendações que faltam para que o espaço seja adaptado e o hospital seja logo entregue”, disse o secretário.

Com a montagem bastante adiantada, o Corpo de Bombeiro repassou algumas orientações e pontuou que na próxima segunda-feira (15), se todas elas forem acatadas, já será emitido o documento com a liberação para que o Hospital possa funcionar.

“Já estamos acompanhando o trabalho aqui há algumas semanas, dando orientações e fiscalizando a área. Hoje, viemos massificar as orientações, para que possamos adequar a escola para o funcionamento do Hospital. Todas as orientações foram repassadas e devem ser concluídas na segunda. Caso isso aconteça, nossa equipe volta aqui para uma nova vistoria, para avaliar e liberar a entrega do Hospital pronto para ser utilizado”, explicou o comandante do 4º GBM, tenente coronel Francisco Júnior.

Tenente coronel Francisco júnior, comandante do 4º GBMEstrutura – O Hospital de Campanha, com 60 leitos, está sendo montado na Escola Estadual Maria Uchoa Martins, localizada no bairro Floresta, a 800 metros do Hospital Regional do Baixo Amazonas. A abertura da nova unidade temporária é mais uma estratégia para desafogar a ocupação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que já virou um hospital exclusivo para atendimento de casos de Covid no município e está com fluxo intenso de pacientes.

A unidade temporária irá contar com seis enfermarias, com sete leitos cada; uma enfermaria com 16 leitos; uma sala de estabilização, com 4 leitos; posto de enfermagem; farmácia; almoxarifado; estar médico e de enfermagem; coordenação de enfermagem; uma sala do Núcleo de Interno de Regulação; necrotério; sala de paramentação; área de alimentação e administrativo. 

Alguns equipamentos como cama, armários, suporte de soro, escadinhas de degraus, colchões, carrinhos de parada, mesas de cabeceira, mesas de exames, cadeiras de rodas e oxímetros de dedo já começaram a chegar e a previsão é de que a partir de segunda os medicamentos também sejam enviados. Além disso, a empresa responsável pelo tanque de oxigênio informou que a estrutura já está a caminho de Santarém.

“A expectativa é de que até o final da próxima semana esse hospital entre em funcionamento, com a abertura de 60 leitos. Nós estamos hoje ofertando 250 leitos, tanto UTI quanto clínicos aqui na nossa região, e com esse suporte nós iremos passar de 300 leitos à disposição da população. Mas, reforçamos que é necessário que a população continue tendo todos os cuidados possíveis usando máscara, higienização as mãos, mantendo o distanciamento social para que a gente possa vencer juntos à pandemia da Covid-19”, ponderou Henderson Pinto.