Emater reforça assistência a produtores e projeta aumento da produção de Cacau em Almeirim

26/03/2021 17h38 - Atualizada em 26/03/2021 22h22

Nesta sexta-feira (26), é celebrado o Dia do Cacau e o Pará também comemora o posto de maior produtor brasileiro do fruto, responsável por mais da metade da produção do país com o equivalente a 144 mil toneladas.

Os produtores da comunidade Santa Luzia do Taiassuy, no município de Almeirim, vêm descobrindo também o potencial da produção de cacau de várzea na região. A partir do acompanhamento do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) no município, a expectativa é que a produção tenha um incremento de aproximadamente 20% este ano.

“O cacau não tinha uma grande expressão no município, mas a partir do momento em que conhecemos o potencial da comunidade, a Emater se fez presente fazendo intervenção no manejo e prestando assistência técnica, realizando treinamentos, vivenciando o dia a dia dos produtores em um trabalho de extensão rural, o que gerou uma evolução da produção, que no ano passado foi de cerca de 10 mil toneladas e este ano, com o melhoramento, deve chegar a 12 ou 13 mil toneladas”, afirma Elinaldo Martins, chefe do escritório local da Emater em Almeirim.

Visitas técnicas

Com o apoio do Instituto de Desenvolvimento Florestal  e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor – Bio), da Fundação Jari e da prefeitura do município; as visitas técnicas aos produtores de cacau de várzea da Comunidade de Santa Luzia do Taiassuy têm sido mais frequentes. Agora em março, foi possível realizar dois dias de encontros, onde os técnicos do escritório local da Emater em Almeirim levaram orientações sobre poda de formação, poda de condução, medidas de controle e combate de pragas e doenças, além de colheita e comercialização dos produtos.

“Levamos também conhecimento sobre a escolha dos frutos para produção de mudas, que deve ser de plantas matrizes sadias, produtivas, não muito velhas e que os frutos sejam grandes e tenham um bom formato. Realizamos também o planejamento para produzir mudas de qualidade, onde os produtores irão montar a estrutura do viveiro no mês de julho logo que baixar a lâmina d’água”, explica Elinaldo, que avalia que todo esse acompanhamento tem motivado ainda mais os produtores da comunidade a investirem na produção de cacau de várzea.

“Os produtores estão entusiasmados com o trabalho que está sendo feito, e nós felizes por estarem absorvendo nossas orientações. Destaco que está sendo uma troca de experiência entre o produtor e o extensionista. Novas orientações e intervenções serão feitas no decorrer do semestre para melhorar, ainda mais, o conhecimento do cacauicultores”, conclui.

Entre os produtores que estão satisfeitos com a melhora visível da produção está o jovem Jean dos Reis Teles. “A gente coloca em prática o que eles trazem para gente nas visitas técnicas e o que a gente já pode ver é que as árvores estão muito mais frutíferas e com uma aparência bem melhor do que antes do manejo”, conta o agricultor.

Emissão de CAR e de DAP

Estão previstos para serem liberados para a comunidade, em breve, um total de 14 Cadastros Ambientais Rurais (CARs) e Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAPs), que vão se somar a outros seis documentos já emitidos agora em março, em uma reunião que levou a comunidade representantes da prefeitura do município, uma das instituições parceiras do escritório local da Emater. O secretário de desenvolvimento econômico de Almeirim, Edson Damião, foi um dos participantes da reunião e destacou a importância da parceria.

“A Emater é uma instituição com larga experiência em oferecer apoio e conhecimento técnico aos que precisam e aqui no município, especialmente para os nossos produtores rurais. A parceria entre governo e Emater é muito importante para que possamos levar a nossa produção rural a ser autossustentável, o que é inédito em Almeirim e esperamos que essa parceria continue por muitos e muitos anos”, afirma o secretário Edson Damião.

Entre os agricultores que receberam o CAR e a DAP, está o jovem Jean, que agora, além de satisfeito com a melhora da produção de seu cacau, amplia os planos para o cacau e outras culturas de sua propriedade.

“Estou muito satisfeito por ter tido o apoio da Emater para ter acesso a esses dois documentos que são acesso às políticas públicas. A gente tem interesse em fornecer para os programas de aquisição de alimentos e da merenda escolar. Assim, vamos crescer ainda mais e buscar financiamentos para isso”, resume o produtor.

O CAR e a DAP são dois registros que identificam e qualificam o agricultor familiar, essenciais para o acesso a Políticas Públicas e financiamento para a produção e propriedade rural.

Por Etiene Andrade (EMATER)