Hospital de Clínicas destaca papel do infectologista na assistência a pacientes de Covid-19

No Dia Nacional do Infectologista, o HC mostra que a importância desse profissional se reflete no atendimento a várias doenças e no ambiente hospitalar

11/04/2021 12h28 - Atualizada em 11/04/2021 13h30

Equipe de Infectologia do HC durante a ação sensibilização para os protocolos da pandemiaHá pouco mais de um ano, quando os primeiros casos de Covid-19 foram registrados no Brasil, o que se viu desde então foi uma busca contínua por formas de prevenção e por um antídoto eficaz contra a doença. Ao mesmo tempo, profissionais de saúde se desdobraram para entender o comportamento do novo coronavírus em diferentes ambientes, visando minimizar os efeitos no organismo humano.

Entre esses profissionais está o médico infectologista - que neste domingo (11 de abril) comemora seu Dia Nacional -, um dos responsáveis pela pesquisa, diagnóstico e tratamento de doenças infecciosas e parasitárias. Em função desse conhecimento e diante do cenário de pandemia, o profissional dessa é essencial na atuação em conjunto com especialistas no atendimento a pacientes infectados pelo novo coronavírus, assim como no planejamento de ações de combate à doença.Vânia Brilhante, infectologista e diretora técnica do HC, frisa o aprendizado em mais de um ano de enfrentamento à Covid-19

No Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (HC), em Belém, unidade referência em cardiologia, nefrologia e psiquiatria no Pará, esse trabalho de prevenção já era constante, e foi sendo aprimorado à medida que o número de internações de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus aumentava. “A pandemia nos trouxe um aprendizado muito grande para questões de relacionamentos interpessoal e sobre o nível de planejamento que tínhamos para momentos como esse. Essa visão estratégica foi importante para garantirmos não só o atendimento seguro de pacientes, mas a proteção da nossa equipe assistencial”, destaca Vânia Brilhante, infectologista e diretora técnica do HC.

Mesmo com uma atenção especial para a Covid-19, a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do HC vem ampliando o número de ações de sensibilização com as equipes assistenciais, visando evitar a disseminação de outros microrganismos potencialmente perigosos aos pacientes e profissionais.

Sensibilização - “Ambientes hospitalares são propícios para o desenvolvimento de infecções, e algumas das medidas utilizadas para reduzir a circulação desses germes vem com o largo uso de antibióticos, o que favorece o aumento de microrganismos multirresistentes. Entre as diversas ações realizadas, a sensibilização quanto ao uso racional de antimicrobianos tem sido importante neste momento”, explica a infectologista Larissa Luz.A infectologista Larissa Luz ressalta a importância do uso racional de antimicrobianos

Além da sensibilização, a equipe de Infectologia do Hospital de Clínicas vem, desde o mês de março, apresentando aos setores assistenciais o novo padrão dos protocolos de precaução e medidas de isolamento, baseadas em diretrizes da Agência Nacional de Vigilância (Anvisa), e reforçando a divulgação de orientações sobre o uso correto de equipamentos de proteção individual (EPIs) e de medidas simples de proteção, como a higienização das mãos com água e sabão ou álcool 70%.

Por Marcelo Leite (HC)