Semana de Meio Ambiente estimula aliança entre negócios e desenvolvimento sustentável

Programação segue até sexta-feira, 11, com discussões sobre sustentabilidade e biodiversidade.

10/06/2021 17h59 - Atualizada em 10/06/2021 18h12

"Empreendedorismo Sustentável: oportunidade de negócios aliados ao desenvolvimento responsável do meio social e do meio ambiente" foi o tema apresentado, nesta quinta-feira (10), durante a programação dedicada à Semana do Meio Ambiente, que prossegue até esta sexta-feira (11), para ampliar discussões sobre sustentabilidade e biodiversidade.

O evento é organizado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), com apoio da Secretaria de Estado de Cultura e do Instituto de Desenvolvimento Florestal e Biodiversidade (Ideflor-Bio). A live desta quinta contou com a mediação da gerente de Mudanças Climáticas, da Semas, Camila Miranda.

Representantes do governo do estado, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Centro de Empreendedorismo da Amazônia mostraram os esforços em manter os valores econômicos, sociais e ambientais das empresas.

A secretária estadual de Cultura, Úrsula Vidal, destacou a necessidade de um olhar especial para o empreendedorismo, aliado as necessidades de cada território e do contexto histórico. “ A gente tem um estímulo fundamental do Governo do Pará para que todos nós possamos trabalhar em conjunto, e creio essa seja a receita da efetividade na qual a gente tem conseguido manter esse organismo vivo. Quando a gente faz uma escuta atenta para entender o que os povos originários querem dizer, quando temos lideranças indígenas levantando a sua voz contra esse modelo de desenvolvimento que é predatório para a Amazônia, a evolução acontece. A gente precisa passar por esse processo pedagógico. Nós temos a Amazônia, e a natureza nos ensina que a mudança vem de dentro pra fora. Nós temos iniciativas extraordinárias desenvolvidas pelo Governo do Estado, pelo Sebrae e pelo Fundo de Empreendendorismo na Amazônia, mas não adianta o Pará fazer sozinho, nós precisamos falar para o mundo que precisamos de união. A gente quer fazer a nossa parte, como já estamos fazendo, mas vocês precisam ouvir os amazônidas. Nós já fazemos a ciência, entendemos os ciclos florestais. Precisamos dessa integração”, concluiu a secretária. 

Raphael Medeiros, diretor executivo do Centro de empreendedorismo, destacou programas voltados a despertar no jovem empreendedor o foco na sustentabilidade. Segundo o diretor, não só com foco na educação empreendedora, mas voltados para tornar os negócios viáveis, com técnica e apoio de capital, para que surjam empresas efetivamente sustentáveis. “Projetos para a área de mineroduto, ligados a inúmeros municípios com apoio de empresas privadas, em união com o governo do estado – Semas e Secult estão presentes - e Sebrae. Têm programas de governo como o Start Up Pará, o Amazônia 2030, de pesquisa e ciência. A quantidade de ações é grande. A gente precisa chamar a Amazônia de nossa, se eu falo que sou da Amazônia, as pessoas de fora querem saber mais”.

O diretor superintendente do Sebrae, Rubens Magno, disse que a sustentabilidade vem sendo trabalhada pelo empreendedor há muitos anos. Afirmou que no Brasil 99,4% são pequenas e microempresas. “O segundo maior custo, depois da folha salarial, é a energia elétrica, e o empreendedor já vem usando lâmpada de Led, luz solar, mais janelas na iluminação dentro dos negócios, evita o gotejamento das torneiras, isso é sustentabilidade. Estamos buscando empreendedores que investem no bioma amazônico, no negócio sustentável, para projeto que será lançado daqui alguns meses - o Inova Amazônia. Outro processo de sustentabilidade vai direcionar bolsas de até 36 mil reais para pesquisadores que trabalham com sustentabilidade”, informa.

Por Bruna Brabo (SEMAS)