Operação Tarrafa tem participação da perícia criminal

Quase 80 kg de 'grude' de peixe e mais de cinco mil itens irregulares foram submetidos à análise técnica de peritos.

10/06/2021 18h56 - Atualizada em 10/06/2021 19h09

A Operação Tarrafa, realizada durante o feriado prolongado de Corpus Christi por órgãos que integram a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup-PA), e que teve como foco ações de prevenção e repressão a crimes pelos rios e comunidades ribeirinhas no entorno de Belém, contou com os peritos criminais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC). A participação da perícia criminal forneceu a prova técnica às apreensões feitas pela Polícia Civil (PC), durante a ação.

As ações dos peritos atenderam à duas requisições da PC referentes às mercadorias que foram apreendidas. Uma das solicitações envolvia a perícia técnica relacionada a um crime ambiental de natureza animal. “Foram exatos 78 kg de bexigas natatórias, mais conhecida como 'grude de peixe', que é usada como fixador por indústrias de cosméticos e de bebidas. A perícia constatou que o produto é de procedência irregular, e estava armazenado em sacos plásticos”, explicou o perito criminal Fernando Arthur.

A outra solicitação para análise pericial envolvia os 11 volumes, em que continham mais 5.000 itens. “Nessa apreensão existiam bonés, chapéus, cabos de celular, suplementos alimentares, perfumes, cosméticos dentre outros objetos", completou o perito criminal Mauro Márcio de Oliveira.

Ainda de acordo com os peritos, apesar do trabalho ter sido intenso, foi necessária agilidade para quantificar e qualificar as peças e entregar os volumes à PC, ficando o laudo definitivo a ser expedido posteriormente para conclusão do inquérito policial.

Por Alexandre Cunha (CPC)